História

SOBRE A HERDADE DA FONTE COBERTA


  • 2016 | Aumento da capacidade produtiva e de armazenamento de vinhos

  • 2014 | Inauguração das novas instalações da Santos & Santos – Companhia de Vinhos

  • 2012 | Lançamento do vinho Regional Lisboa: Quinta da Cidadoura

  • 2012 | Tomada de Posse dos atuais órgãos sociais da Santos e Santos

  • 2011 | Lançamento da primeira marca de vinhos Regional Lisboa: Fonte Santa

  • 2008 | Início da distribuição dos vinhos da Santos & Santos no mercado externo

  • 2005 | Aquisição da Viticarvalhal – Sociedade de Vinhos, SA

  • 2001 | Aquisição da Herdade da Fonte Coberta em Évora – Alentejo

  • 2000 | Reestruturação das instalações na Ribeira de Pedrulhos

  • 1984 | Aquisição da Quinta da Cidadoura

A Herdade da Fonte Coberta, situada a 5 km da cidade de Évora, é uma empresa familiar que surgiu da enorme paixão dos seus sócios pelo “mundo vinícola”, que alimentando o sonho de ampliar e projetar as marcas que já produziam na região Oeste, resolveram investir no Alentejo, uma  das mais importantes Regiões Vinícolas de Portugal, onde a vinha é, atualmente, a maior riqueza agrícola.
Quando em 2001 a propriedade foi adquirida contava com uma plantação de girassóis, só em 2003 se iniciou a plantação de vinhedos que inicialmente era de 50ha de vinha.
Atualmente dos, cerca de, 500ha que constituem a Herdade da Fonte Coberta, 250ha são de plantação de vinha.

Vinhas

Situada num local estratégico, no coração do Alentejo central, junto à histórica cidade de Évora – Património Mundial da Unesco -, e fazendo-se valer da perfeita harmonia entre o clima mediterrâneo com caraterísticas de clima continental e os solos predominantemente de origem granítica e xistosa, a vinha da Herdade da Fonte Coberta apresenta um elevado potencial para a produção de vinhos de excelência.
Dos 250ha de plantação de vinha, 200ha representam castas tintas e 50ha castas brancas privilegiando-se as castas caraterísticas do Alentejo como Trincadeira e Aragonez – nos tintos – e Arinto e Antão Vaz – nos brancos -. Contudo, de forma a permitir a produção de vinhos de qualidade e caraterísticas únicas e diferenciadoras, apostou-se numa maior diversificação de castas: Alicante Bouschet, Castelão, Syrah, Touriga Franca, Touriga Nacional, Merlot, Cabernet Sauvignon e Petit Verdot – para os tintos – Fernão Pires, Viognier, Roupeiro, Chardonny e Moscatel – para os brancas.